Universitários associam-se a escolas do Porto para descobrir novos antibióticos

Projeto MicroMundo@Uporto está quase a arrancar

06 março 2019
  |  Partilhar:
Estudantes das faculdades de Farmácia e de Nutrição da Universidade do Porto juntaram-se a alunos do ensino básico e secundário num projeto que visa “a descoberta de novos antibióticos para colmatar o aumento da resistência”.
 
Em entrevista à agência Lusa, Luísa Peixe, docente da Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto (FFUP) e responsável pelo projeto denominado MicroMundo@Uporto, afirmou que este surgiu da necessidade de “consciencializar as pessoas para o problema da resistência aos antibióticos”.
 
“Os estudantes vão contribuir para a resolução de um problema real, que é a descoberta de novos antibióticos, de modo a podermos ultrapassar aquilo que é a ameaça associada ao aumento da resistência aos antibióticos”, frisou.
 
Através de uma estratégia pedagógica designada “aprendizagem e serviço”, 45 estudantes do mestrado integrado em Ciências Farmacêuticas da FFUP e do mestrado em Ciências da Nutrição da Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto (FCNAUP) vão “captar a atenção dos mais jovens para as ciências”.
 
Ao projeto associaram-se, por isso, 180 alunos do Agrupamento de Escolas Carolina Michaelis e da Escola Secundária Rodrigues de Freitas, no Porto, que vão “acompanhar” o trabalho experimental desenvolvido pelos universitários e adquirir, de forma prática, novos conhecimentos.
 
“Esta iniciativa atua fora do contexto universitário, o que permite aproximar a instituição à sociedade, uma vez que são os estudantes que vão às escolas transmitir o conhecimento relacionado com a resistência aos antibióticos e tentar despertar nos jovens o conhecimento pela diversidade microbiana”, esclareceu.
 
Segundo a docente, o projeto, que “sai das instalações da faculdade” este mês, pretende ainda aumentar a “autonomia, planeamento e capacidade de tomada de decisões” dos estudantes universitários na realização de trabalhos de investigação.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Comentários 0 Comentar