Telessaúde usada em 87% dos hospitais, mas inteligência artificial não chega a metade

Barómetro sobre telessaúde e inteligência artificial no sistema de saúde

06 junho 2019
  |  Partilhar:
Mais de 80% dos hospitais do SNS recorrem à telessaúde, sendo o telerrastreio e a teleconsulta os mais frequentes, mas os projetos de inteligência artificial ainda não chegaram a metade das instituições de saúde em Portugal.
 
Segundo apurou a agência Lusa, os dados constam do Barómetro sobre telessaúde e inteligência artificial no sistema de saúde.
 
Ao todo, cerca de 75% das instituições de saúde já têm implementados projetos de telessaúde, o que inclui os cuidados de saúde primários. No universo dos hospitais do SNS são 87% as unidades que já aplicam estas ferramentas de saúde, consideradas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como fundamentais para melhorar o acesso aos cuidados.
 
Mais de metade dos hospitais usa o rastreio à distância, nomeadamente na área da dermatologia, e também mais de 50% têm teleconsultas.
 
Com menor expressão nos hospitais do SNS surgem as áreas da teletriagem e da telerreabilitação, que serve para acompanhar e dar recomendações a doentes que estão em casa.
 
Para 96% das instituições inquiridas, a telessaúde tem um papel “muito importante” na monitorização de doentes crónicos e para 75% permite reduzir as readmissões hospitalares.
 
Apesar da importância que é atribuída, seis em cada 10 instituições considera que a infraestrutura tecnológica (como acesso à internet ou largura de banda) é a principal barreira no desenvolvimento da telessaúde.
 
A infraestrutura tecnológica é também um dos motivos encarados como barreira à adoção de projetos de inteligência artificial, a par da falta de “cientistas de dados”. Segue-se a ausência de recursos financeiros.
 
No que respeita à inteligência artificial, apenas 47% das instituições têm projetos em implementação ou em fase piloto. Transcrição por voz, agendamento de atividades clínicas e interpretação ou extração de informação dos processos clínicos são as áreas com mais projetos em curso.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Comentários 0 Comentar