Sucesso da fertilização in vitro depende das bactérias da cavidade uterina

Estudo publicado na revista “American Journal of Obstetrics and Gynecology”

12 dezembro 2016
  |  Partilhar:
As bactérias que habitam a cavidade uterina desempenham um papel importante no sucesso da fertilização in vitro, dá conta um estudo publicado no “American Journal of Obstetrics and Gynecology”.
 
Neste estudo, os investigadores da Universidade de Valência, Espanha, decidiram avaliar a presença de bactérias na cavidade uterina, tendo para tal avaliado amostras do fluido endometrial e vaginal obtido de 13 mulheres nas fases pré-recetiva e recetiva.
 
Com o intuito de investigar a regulação hormonal das bactérias que habitam a cavidade uterina (flora uterina) durante a aquisição da recetividade do endométrio, o fluido endometrial foi recolhido em 22 mulheres férteis nas fases pré-recetiva e recetiva no mesmo ciclo menstrual. O possível impacto reprodutivo da flora uterina alterada no fluido endometrial foi avaliado na implantação, no curso da gravidez e na taxa de nados vivos em 35 mulheres inférteis que estavam a ser submetidas à fertilização in vitro.
 
Após terem emparelhado e analisado as amostras do fluido endometrial e vaginal das mesmas pacientes, os investigadores constataram que estes dois fluidos tinham diferentes comunidades bacterianas. As bactérias presentes no fluido endometrial foram classificadas como Lactobacillus  dominante ou Lactobacillus não dominante. Não houve nenhuma evidência de que as hormonas esteroides tivessem um papel importante na determinação da composição da comunidade microbiana no endométrio.
 
Por outro lado, as mulheres com flora Lactobacillus  não dominante e com um endométrio recetivo apresentavam uma taxa mais baixa de implantação de gravidez e de nados vivos, comparativamente com as mulheres com uma flora Lactobacillus  dominante.
 
Roberto Romero, editor chefe do “American Journal of Obstetrics and Gynecology”, refere que a cavidade uterina não é estéril e contém habitualmente bactérias. Contudo, até à data, não se sabia se as bactérias presentes nesta cavidade poderiam influenciar o sucesso da reprodução.
 
Este estudo demonstrou, pela primeira vez, que a colonização da cavidade uterina por algumas bactérias afeta o sucesso da fertilização in vitro, das taxas de gravidez, e dos nascimentos.
 
Na opinião de Roberto Romero, estes resultados sugerem que os testes de diagnóstico que analisem a composição microbiana da cavidade uterina poderão ser importantes na avaliação do sucesso da fertilização in vitro
 
Adicionalmente, estes achados também sugerem que os tratamentos com agentes antimicrobianos ou probióticos podem ser úteis para melhorar o sucesso reprodutivo, e que este pode depender da relação entre o hospedeiro e os microrganismos presentes na cavidade uterina.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar