Rugas e perda de pelo associados a idade revertidos em ratos

Estudo publicado na revista “Cell Death & Disease”

25 julho 2018
  |  Partilhar:
Uma equipa de investigadores conseguiu reverter o enrugamento da pele e a queda de pelo, ambos associados ao envelhecimento em ratinhos.
 
Num estudo conduzido por investigadores liderados por Keshav Singh, da Universidade de Alabama, EUA, foi descoberto que uma mutação genética que conduziu a uma disfunção nas mitocôndrias produziu aqueles sintomas típicos do envelhecimento nos roedores em apenas algumas semanas. 
 
Contudo, ao desativarem o gene responsável pela perturbação induzida na função das mitocôndrias, os ratinhos recuperaram o pelo e a pele voltou a ser lisa, ficando idênticos a ratinhos saudáveis da mesma idade.
 
“Que saibamos, esta observação não tem precedentes”, comentou Keshav Singh face aos resultados obtidos pela equipa. A mutação que levou aos sinais de envelhecimento observados nos ratinhos foi num gene nuclear que afeta a função das mitocôndrias. 
 
Como se sabe, as mitocôndrias são os minúsculos organelos dentro das células responsáveis por produzirem a maioria da energia química que as células requerem para sobreviver. Nos humanos, dá-se um declínio na função mitocondrial com o processo de envelhecimento. 
 
A depleção do ADN das mitocôndrias contribui para doenças relacionadas com as mitocôndrias, doenças cardiovasculares, neurológicas relacionadas com o envelhecimento, cancro e diabetes nos humanos.
 
Segundo o investigador que liderou o estudo, este achado “poderá proporcionar uma oportunidade sem precedentes para o desenvolvimento de estratégias de desenvolvimento de fármacos preventivos e terapêuticos para aumentar as funções mitocondriais para o tratamento associado à idade da pele e patologias do cabelo e outras doenças humanas em que a disfunção mitocondrial desempenha um papel significativo”. 
 
Foram observadas poucas alterações noutros órgãos nas mutações induzidas, o que sugere que as mitocôndrias poderão desempenhar um papel importante na pele em relação a outros tecidos. 
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar