Retirados lotes de medicamento para hipertensão da Mylan e AIM Teva

Ordem do Infarmed

12 dezembro 2018
  |  Partilhar:
A Autoridade Nacional do Medicamento determinou a retirada do mercado de vários lotes de medicamentos contendo a substância ativa valsartan, usada no tratamento da tensão arterial elevada, produzidos pelos fabricantes AIM Teva e Mylan.
 
Segundo noticiou a agência Lusa, numa nota disponível na página da Internet, o Infarmed determina a suspensão imediata da comercialização de vários lotes de medicamentos produzidos com a substância ativa valsartan pelos laboratórios Mylan e AIM Teva "na sequência da deteção de valores de impurezas de NDEA (N-nitrosodimetilamina) fora do limite admissível".
 
O Infarmed recomenda aos doentes que estejam na posse daqueles lotes de medicamento que solicitem a sua substituição por um lote de medicamento não afetado nos locais onde foram adquiridos, mesmo que as embalagens já tenham sido utilizadas.
 
“As entidades que possuam embalagens pertencentes a estes lotes em stock não as podem vender, dispensar ou administrar, devendo proceder à sua devolução”, esclarece o Infarmed na nota.
 
A Autoridade do Medicamento esclarece ainda que existem outros medicamentos contendo valsartan, isolado ou em associação, que não foram recolhidos, bem como outros medicamentos disponíveis para as mesmas indicações e que constituem alternativas terapêuticas.
 
Em julho passado, o Infarmed tinha anunciado a suspensão imediata da comercialização de lotes de medicamentos com a substância ativa valsartan, produzidos pelo fabricante chinês Zhejiang Huahai Pharmaceuticals por ter sido identificada uma impureza.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Comentários 0 Comentar