Proteína em falta no cérebro causa comportamentos semelhantes ao autismo

Estudo publicado na revista “Journal of Neuroscience”

15 janeiro 2020
  |  Partilhar:
Investigadores da Universidade Rutgers, Newark, identificaram uma proteína essencial à criação de novos neurónios durante o desenvolvimento pré-natal e pequena infância.
 
Os cientistas descobriram que a ausência da proteína em causa, a p75NTR, causa descontrolo em parte do cérebro, o que leva a desequilíbrio no circuito neurológico e consequências a nível cognitivo e de comportamento semelhantes ao autismo.
 
Apesar de a p75NTR não ser um gene diretamente ligado ao autismo, é uma proteína reguladora necessária ao desenvolvimento e sobrevivência das células cerebrais. O “timing” exato da sua expressão é fundamental.
 
Esta proteína tem sido estudada em relação à neurodegeneração que ocorre na doença de Alzheimer e na morte de neurónios após lesão, mas não quanto à sua importância no desenvolvimento de novos neurónios.
 
Em ratos modificados geneticamente, os investigadores descobriram que os animais sem a proteína p75NTR tinham mais células cerebrais do que o normal, o que causava problemas no cerebelo.
 
O cerebelo é uma área reguladora dos movimentos, equilíbrio e da função cognitiva e uma das áreas-chave afetadas pelo autismo.
 
Wilma Friedman, investigadora, conclui: “É importante saber como os circuitos do cérebro são feitos e como regulam o comportamento de forma normal. Esta investigação mostra-nos que quando não são gerados da forma correta isso terá um impacto em vários comportamentos”.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar