Pobre saúde oral compromete saúde em geral, principalmente em idosos

Estudo publicado na “Journal of the American Geriatrics Society”

04 outubro 2019
  |  Partilhar:
Um artigo de revisão de investigadores da área da saúde e medicina dentária da Universidade de Connecticut, EUA, revela os riscos de uma pobre higiene oral, principalmente nos idosos.
 
Os autores do estudo recomendam que os profissionais de saúde, como os médicos de família, devem fazer um exame oral aquando da consulta de rotina ou encaminhar os idosos para o dentista.
 
A prevalência de cáries nos adultos mais velhos é duas vezes mais elevada que nos jovens. A periodontite é outra doença que progride com a idade, provocando infeção gengival e consequente destruição de tecido e osso que suporta o dente.
 
A periodontite está ainda associada a outros problemas de saúde, como diabetes ou problemas cardiovasculares. A infeção oral crónica não só é um fator de risco para problemas cardíacos, como também espalha a infeção às próteses articulares e implantes endocárdicos.
 
Os especialistas alertam ainda para a falta de dentição que impossibilita a mastigação, levando a malnutrição.
 
Em suma, é aconselhado a que os idosos tenham um acompanhamento mais apertado por parte dos seus médicos de família ou cuidadores, no caso dos que estão internados num lar. As pessoas com demência ou diabetes estão ainda em maior risco de infeção oral, pelo que os cuidados terão de ser redobrados.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Comentários 0 Comentar