Nova forma de tratamento da progeria potencialmente eficaz

Estudo publicado na revista “Nature Communications”

26 novembro 2019
  |  Partilhar:
Investigadores do Instituto Karolinska e do IFOM-Instituto de Oncologia Molecular de Itália descobriram uma possível nova forma de tratamento contra a progeria.
 
A progeria é uma doença genética ligada à progerina, um defeito na proteína lamina A no núcleo da célula. Este defeito/mutação inibe a divisão celular e leva a envelhecimento precoce e morte na adolescência por problemas cardiovasculares.
 
Até à data, vários tratamentos foram testados com sucesso em animais, mas os ensaios clínicos realizados em crianças não demonstraram resultados favoráveis, originando a necessidade de procurar tratamentos eficazes.
 
Para este estudo, os investigadores usaram amostras de células de crianças com progeria para observar a função desregulada nos telómeros na ponta dos cromossomas e a acumulação dos chamados ARN não codificantes teloméricos.
 
Ao adicionar oligonucletídeos, um desativador de genes prejudiciais, foi possível reduzir os níveis de ARN não codificantes teloméricos. Isto levou a uma divisão celular mais normalizada, o que poderá melhorar a condição dos pacientes e aumentar a sua longevidade.
 
Em ratos com progeria tratados da mesma forma, a equipa verificou um aumento da esperança máxima de vida em 44% e da esperança média de vida em 24%.
 
A progerina também é encontrada em indivíduos saudáveis e aumenta com a idade, pelo que estes resultados podem ser importantes para tratar outras doenças relacionadas com o envelhecimento.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar