Nova estratégia no combate a bactérias resistentes

Descoberta publicada na revista “Nature Communications”

17 janeiro 2020
  |  Partilhar:
Uma investigação desenvolvida na Universidade Católica de Lovaina, Bélgica, revela uma nova estratégia de combate a bactérias resistentes a antibióticos.
 
Os antibióticos tradicionais matam e reduzem a atividade das bactérias individualmente. Contudo, algumas bactérias tornam-se resistentes, crescem rapidamente e dominam as bactérias não resistentes. O uso de antibióticos torna as bactérias ainda mais resistentes.
 
Contudo, as bactérias exercem um comportamento de grupo em que desenvolvem um biofilme, uma película protetora à volta de toda a comunidade bacteriana, incluindo as bactérias não resistentes. Estes biofilmes são, muitas vezes, a fonte das infeções.
 
Neste estudo os investigadores perceberam que bloquear a produção da película protetora da bactéria salmonela tornava a remoção da bactéria mais fácil. Sem esta camada a bactéria fica vulnerável e pode ser expulsa de forma mecânica, através de desinfetantes ou pelo sistema imunitário.
 
Mais, ao usar um antibacteriano desenvolvido na Universidade, a equipa observou que poucas bactérias se tornaram resistentes ao químico e que estas foram ultrapassadas pelas bactérias não resistentes.
 
Hans Steenackers, líder do estudo, explica a descoberta: “Em contraste com os antibióticos tradicionais, esta substância não causa seleção para a resistência, mas contra ela. Os tratamentos antimicrobianos que impeçam a bactéria de trabalhar em conjunto são uma solução viável (…)”.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Comentários 0 Comentar