Mulheres que fazem turnos à noite apresentam maior risco de cancro

Estudo publicado na “Cancer Epidemiology, Biomarkers & Prevention”

10 janeiro 2018
  |  Partilhar:
Um novo estudo revelou que as mulheres que trabalham turnos noturnos durante um longo período podem apresentar um risco acrescido de vários tipos comuns de cancro.
 
As conclusões do estudo foram da autoria de Xuelei Ma e equipa, da Faculdade de Medicina da China Ocidental, da Universidade de Sichuan em Chengdu, China, responsáveis pelo mesmo.
 
Segundo o autor principal do estudo, investigação anterior tinha tentado perceber a associação entre o trabalho por turnos durante a noite por mulheres e o risco de cancro da mama, mas com conclusões inconsistentes. 
 
A equipa de Xuelei Ma propôs-se, então, perceber a ligação entre o trabalho de longa duração por turnos noturnos e o risco de 11 tipos de cancro diferentes em mulheres. Para o efeito, a equipa decidiu proceder à meta-análise de 61 estudos, que abrangiam 114.628 casos de cancro e 3.909.152 participantes da Europa, Norte da América, Austrália e Ásia.
 
Foi ainda conduzida uma análise especificamente dedicada ao trabalho por turnos noturnos de longa duração e o risco de seis tipos de cancro em enfermeiras.
 
Os investigadores apuraram que o trabalho por turnos noturnos de longa duração em mulheres fazia aumentar o risco de cancro em 19%. Em termos de tipos específicos de cancro, verificou-se um aumento de 41% no cancro da pele, de 32% no cancro da mama (mas só apenas em mulheres europeias e da América do Norte) e de 18% no cancro gastrointestinal em relação a mulheres que não praticavam trabalho de longa-duração por turnos noturnos. 
 
Relativamente às enfermeiras, foi verificado que as que faziam turnos noturnos apresentavam um risco 58% mais elevado de cancro da mama, 35% maior de cancro gastrointestinal e 28% de cancro do pulmão em comparação com as que não trabalhavam com aqueles horários.
 
De todos os tipos de trabalhos analisados, as enfermeiras que trabalhavam durante a noite apresentavam o risco mais elevado de desenvolverem cancro da mama. Os investigadores admitem que o risco de cancro mais elevado nesta profissão poderá ser devido ao stress dos turnos noturnos em enfermagem e também pelo facto de as enfermeiras poderem ser mais propensas a efetuarem rastreios de doenças.
 
“O nosso estudo indica que o trabalho por turnos noturnos serve como fator de risco para cancros comuns em mulheres”, disse o autor principal do estudo. “Estes resultados podem ajudar a estabelecer e implementar medidas eficazes para proteger as trabalhadoras que fazem turnos noturnos”, recomendou. 
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar