Mais de 6.000 genes de resistência aos antibióticos descobertos no tubo digestivo

Estudo publicado na revista “Nature Microbiology”

05 dezembro 2018
  |  Partilhar:
Uma equipa de investigadores descobriu mais de 6.000 genes de resistência aos antibióticos que habitam o sistema gastrointestinal humano.
 
O trato gastrointestinal humano alberga milhares de biliões de microrganismos, principalmente bactérias. Embora a maioria seja sensível aos antibióticos, muitas bactérias possuem mecanismos que as tornam resistentes àquele tipo de fármacos.
 
Atualmente, o mundo da investigação ainda não conseguiu perceber bem os mecanismos subjacentes à resistência aos antibióticos pelas bactérias gastrointestinais.
 
Num estudo efetuado pelo Instituto Nacional da Investigação Agronómica, França, em colaboração com a Universidade de Birmingham, Reino Unido, os investigadores desenvolveram um método para identificar genes de resistência no trato gastrointestinal, mediante a comparação entre as estruturas tridimensionais das enzimas conhecidas de resistência aos antibióticos e as proteínas produzidas pelas bactérias do tubo digestivo.
 
O método desenvolvido foi posteriormente aplicado a um conjunto de muitos milhões de genes do trato digestivo. Como resultado, os investigadores conseguiram identificar os 6.000 genes de resistência aos antibióticos nas bactérias gastrointestinais. 
 
A maioria das bactérias no trato intestinal humano não prejudica o seu hospedeiro; contudo, há bactérias que podem causar infeções a doentes hospitalizados, explicou Willem van Schaik, um dos investigadores neste estudo.
 
“No entanto, o uso continuado dos antibióticos poderá fazer com que esses genes de resistência sejam transferidos para as bactérias patogénicas, reduzindo assim, ainda mais, a eficácia dos antibióticos no tratamento de infeções”, concluiu o especialista.  
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar