Maior consumo de carne vermelha pode aumentar risco de morte precoce

Estudo publicado na “BMJ”

18 junho 2019
  |  Partilhar:
O aumento do consumo de carne vermelha, particularmente processada, foi associado a um maior risco de morte precoce, indicou um estudo.
 
Por outro lado, o estudo de investigadores norte-americanos e chineses apurou que a substituição de carne vermelha por fontes proteicas saudáveis como cereais integrais, peixe, vegetais e ovos, poderá decrescer aquele risco.
 
Como se sabe, o consumo elevado de carnes vermelhas como porco e vaca já tinha sido associado a um maior risco de diabetes de tipo 2, doenças cardiovasculares, alguns tipos cancro e morte prematura. Não se sabia se alterações no consumo de carne vermelha poderiam influenciar o risco de morte.
 
Os investigadores analisaram o impacto nas alterações do consumo de carne vermelha entre 1986 e 2010 em profissionais de saúde sem cancro ou doenças cardiovasculares no início do estudo.
 
Para o efeito, a equipa contou com dados sobre 53.553 enfermeiras com 30 a 55 anos de idade, pertencentes ao Estudo da Saúde dos Enfermeiros, e de 27.916 profissionais de saúde do sexo masculino com 40 a 75 anos de idade do Estudo de Seguimento dos Profissionais de Saúde, ambos norte-americanos.
 
Os participantes completaram questionários sobre frequência alimentar a cada quatro anos. Posteriormente, foram divididos em cinco grupos com base nas alterações dos próprios no consumo de carne vermelha. 
 
Durante o período do estudo deram-se 14.019 mortes por todas as causas, cujas principais foram doenças cardiovasculares, cancro, doenças respiratórias e neurodegenerativas. 
 
Foi observado que o aumento do consumo de carne vermelha em 3,5 ou mais porções por semana foi associado a um risco 10% mais elevado de morte nos oito anos seguintes. O aumento do consumo de carne vermelha processada em 3,5 ou mais porções por semana foi associado a um risco 13% superior de morte e o de carne não processada a um aumento no risco de 9%.
 
Por outro lado, a redução no consumo de carne vermelha, consumindo mais cereais integrais, produtos hortícolas e outras proteínas como ovos, carne de aves sem pele e peixe foi associado a um risco menor de morte.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Comentários 0 Comentar