Infeção fúngica na corrente sanguínea: médicos especialistas salvam mais vidas

Estudo publicado na “The Lancet - Infectious Disease”

09 outubro 2019
  |  Partilhar:
Um estudo da Faculdade de Medicina da Universidade de Washington, EUA, sugere que os pacientes com infeção fúngica no sangue têm mais probabilidades de sobreviver se observados por um médico especializado em infecciologia.
 
Carlos Mejia-Chew e equipa analisaram dados de 1.691 pacientes com infeção fúngica no sangue pelo fungo Candida, tratados entre 2002 e 2015. Foram examinados os procedimentos que os médicos executaram para tratar cada infeção, incluindo se consultaram um médico especialista.
 
45,9% dos médicos responsáveis pelos doentes consultaram um médico especializado em infecciologia. Dos doentes observados por um especialista, 28,6% morreram dentro de 90 dias contra 50,5% de pacientes não observados por um especialista.
 
Mesmo corrigindo os dados com fatores como a idade ou doenças subjacentes, os pacientes observados demonstraram um risco 20% inferior de morte pela infeção.
 
Os médicos especializados em infecciologia receitaram mais medicamentos antifúngicos e durante mais tempo, verificaram mais se haveriam complicações, como infeções no coração, e removeram o cateter central que, apesar de importante para administrar medicação intravenosa, é muitas vezes a principal origem da infeção. 
 
Os investigadores sugerem que, em caso de infeção, se peça sempre a avaliação de um médico especialista que terá um conhecimento mais aprofundado sobre os sintomas e formas de tratamento que poderão salvar mais vidas.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Comentários 0 Comentar