Funcionalidade da arquitetura cerebral reformulada em ratos alcoólicos abstinentes

Estudo publicado na revista “PNAS”

17 janeiro 2020
  |  Partilhar:
Investigadores da Faculdade de Medicina da Universidade de San Diego da Califórnia descobriram que a arquitetura funcional do cérebro de ratos alcoólicos é redefinida na abstinência.
 
Os investigadores sugerem que todo o circuito neuronal deve ser analisado aquando do estudo da adição. Apesar de áreas específicas do cérebro terem papéis importantes, para entender os mecanismos neurológicos que levam à adição é preciso olhar para o cérebro como um todo.
 
A modularidade cerebral (“brain modularity”) é a teoria de que o cérebro está dividido em zonas, cada uma especializada numa determinada funcionalidade e responsável por diferentes processos cognitivos. Por exemplo, os lobos frontais são responsáveis pelo raciocínio e planeamento.
 
Para este estudo a equipa analisou ratos com adição alcoólica e ratos que não bebiam ou bebiam álcool esporadicamente. Com recurso a imagiologia que permite ver ao nível da célula, foi possível observar que o cérebro dos animais alcoólicos apresentava alterações nas ligações neuronais.
 
Além disso, quando privados de álcool, o cérebro dos animais dependentes tinha uma arquitetura funcional completamente redefinida, levando a reduzida modularidade. Isto interfere com a normal atividade neuronal e processamento de informação, contribuindo para declínio cognitivo, problemas emocionais e maior desejo de álcool.
 
Este estudo revela que os danos causados pela adição afetam áreas do cérebro que se desconhecia. Ainda, a adição não é apenas fruto de fatores psicológicos ou uma consequência do estilo de vida. 
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar