Fármaco para osteoporose poderá tratar cancro da mama agressivo

Estudo publicado na revista “Journal of Experimental Medicine”

09 maio 2018
  |  Partilhar:
Uma equipa de investigadores descobriu uma enzima que promove o desenvolvimento do cancro da mama do tipo basal e uma forma de a inibir.
 
Num estudo conduzido por Chenfang Dong da Faculdade de Medicina da Universidade Zheigang, China, e equipa, a enzima conhecida como UGT8 demonstrou incentivar a progressão daquele tipo de cancro que é muito agressivo e com poucas alternativas de tratamento.
 
O cancro da mama do tipo basal afeta normalmente mulheres mais jovens, na pré-menopausa. É um carcinoma de difícil tratamento pois as células tumorais são normalmente triplo-negativas, sem o recetor de estrogénio, recetor de progesterona e a proteína HER2 que são os alvos principais de tratamento das outras formas de cancro da mama. 
 
A equipa descobriu, no entanto, em ratinhos, que o fármaco ácido zoledrónico inibe a enzima UGT8, prevenindo a evolução do cancro da mama do tipo basal, o que sugere que o achado se poderá aplicar igualmente a humanos.
 
O achado teve por base o estudo de mais de 5.000 amostras de pacientes com cancro da mama, tendo descoberto que os níveis da enzima metabólica UGT8 eram dramaticamente elevados em pacientes com cancro da mama do tipo basal, e que quanto mais elevados, maior era o tumor e mais limitada a sobrevida da paciente.
 
Por outro lado, a equipa descobriu que a inibição da enzima UGT8 em ratinhos com cancro da mama, com ácido zoledrónico fez reduzir a capacidade das células formarem tumores, de se espalharem para as regiões adjacentes e de formarem metástases nos pulmões.
 
O ácido zoledrónico é usado em múltiplas doenças dos ossos, incluindo a osteoporose, sendo considerada como um dos fármacos essenciais para a saúde global pela Organização Mundial de Saúde. 
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar