Fármaco para o VIH durante a gravidez provoca microcefalia no bebé

Estudo publicado na revista “The Lancet”

26 novembro 2019
  |  Partilhar:
Um estudo da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de Harvard revela que tomar efavirenz durante a gravidez, em mulheres com VIH, aumenta 2.5 vezes a probabilidade de microcefalia na criança.
 
Os investigadores analisaram dados de 3.000 crianças nascidas de mulheres sujeitas a tratamento para o VIH durante a gravidez. Foi medida a circunferência da cabeça periodicamente desde os 6 meses até aos 5 ou 7 anos de idade.
 
Para este estudo foram usados dois tipos de classificação do crescimento da cabeça: um consistiu em usar os padrões desenvolvidos pelos Centros de Controlo e Prevenção de Doenças (CCPD) dos EUA até aos 36 meses e posteriormente a escala de Nellhaus; no outro usou-se apenas a escala de Nellhaus desde o nascimento até aos 18 anos.
 
Com base apenas na escala de Nellhaus, as crianças cujas mães haviam tomado efavirenz durante a gravidez tinham o dobro da probabilidade de microcefalia, comparando com crianças cujas mães haviam tomado outros fármacos.
 
As crianças com microcefalia avaliadas sob esta escala tinham ainda um menor desempenho nos testes padrão de desenvolvimento infantil aos 1 e 5 anos.
 
Analisando os dados com o tipo de classificação que combina os padrões dos CCPD e a escala de Nellhaus, a probabilidade aumentava para 2,5 vezes.
 
Das 141 crianças expostas ao efavirenz, 14 (9.9%) tinham microcefalia, comparando com 142 crianças com microcefalia em 2.842 que não foram expostas a este fármaco (5%).
 
Outros fármacos para o VIH durante a gravidez não se mostraram associados a um risco maior de microcefalia.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar