Estatinas diminuem mortalidade em doentes de cancro da próstata

Estudo publicado na revista “Cancer Medicine”

17 fevereiro 2020
  |  Partilhar:
Um estudo da Universidade Thomas Jefferson revela que os doentes com cancro da próstata com fatores de risco beneficiam de mais tempo de vida com a toma de Estatinas.
 
Dos doentes com cancro da próstata de alto risco (com elevado antígeno prostático específico ou escala de Gleason de 8 ou mais) muitos desenvolvem uma doença difícil de tratar.
 
Investigações anteriores sugerem que as Estatinas e a metformina, normalmente prescritas em conjunto para combater o elevado colesterol e diabetes, contribuem para um aumento do tempo de vida.
 
Para este estudo, os investigadores examinaram qual dos fármacos influenciava mais o prognóstico do doente, ou se seria a combinação de ambos. Para isso, foram analisados dados de 12.700 doentes diagnosticados entre 2007 e 2011.
 
Foi observado que as Estatinas, só ou em conjunto com metformina, diminuíam a mortalidade por todas as causas: a média de sobrevivência dos doentes com cancro da próstata era de 3,9 anos com a toma de ambos os fármacos.
 
Aqueles que apenas tomavam Estatinas tinham uma taxa de sobrevida de 3,6 anos e os que apenas tomavam metformina, 3,1. Entre os doentes que não tomavam qualquer um dos fármacos, a média de sobrevida era também de 3,1 anos.
 
“No que diz respeito à mortalidade do cancro da próstata, a toma de Estatinas com metformina foi associada a uma redução de 36% do risco de morte, seguida da toma apenas de Estatinas”, revela Grace Lu-Yao, líder do estudo.
 
Os investigadores esperam agora poder conduzir ensaios de forma a entender a associação observada entre as Estatinas e a redução do risco de morte, de forma a que se possa aplicar um tratamento mais direcionado e salvar mais vidas.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar