Erros graves na técnica de uso do inalador em crianças com asma

Estudo publicado na “Journal of Hospital Medicine”

23 abril 2019
  |  Partilhar:
Um novo estudo apurou que muitas crianças e adolescentes hospitalizados devido a asma demonstraram um uso inadequado dos inaladores.
 
Este foi o primeiro estudo a avaliar a técnica de uso do inalador em crianças hospitalizadas por asma, que é o grupo que apresenta o risco de maiores complicações e morte devido à doença.
 
Para a sua investigação, uma equipa de cientistas liderados por Waheeda Samady do Hospital Pediátrico de Chicago Ann & Robert H. Lurie, EUA, recrutou 113 crianças e adolescentes com dois a 16 anos de idade.
 
O estudo demonstrou que 42% dos jovens participantes não usava o inalador corretamente. Isto significa que aquelas crianças e adolescentes não tomavam, com frequência, a dose inteira de medicação.
 
A equipa apurou ainda que 18% não usava uma câmara expansora com o seu inalador, que é um dispositivo recomendado para ser usado com o inalador para ajudar a que a quantidade certa de medicamento para a asma chegue aos pulmões.
 
Os adolescentes foram os que demonstraram mais erros graves. Este grupo foi o que frequentemente não usava uma câmara expansora.
 
“Vemos que os nossos pacientes adolescentes que estão a transitar para a gestão independente da medicação continuam a precisar de monitorização constante para garantir que usam o inalador e câmara expansora apropriadamente para atingirem um controlo otimizado da asma”, comentou Waheeda Samady.
 
“Os adolescentes poderão achar que uma câmara expansora é só para crianças mais pequenas, mas é também recomendado aos adultos usarem uma câmara expansora”, rematou. Este dispositivo aumenta, segundo outros estudos, a quantidade de medicação para a asma de 34% para 83%.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Comentários 0 Comentar