Desenvolvidos materiais programáveis à base de seda

Estudo publicado no “Proceedings of the National Academy of Sciences”

02 janeiro 2017
  |  Partilhar:
Investigadores americanos desenvolveram um novo formato de sólidos a partir de proteínas da seda que podem ser pré-programadas com funções biológicas, químicas ou óticas, revela um estudo publicado no “Proceedings of the National Academy of Sciences”.
 
No estudo os investigadores da Universidade de Tufts, nos EUA, desenvolveram materiais tridimensionais a partir da fibroína de seda, a proteína que fornece à seda durabilidade. Posteriormente, manipularam os materiais com moléculas solúveis em água para criar múltiplas formas sólidas, desde a nano à microescala, com funções integradas e pré-concebidas.
 
Os investigadores, liderados por Fiorenzo Omenetto, desenvolveram, nomeadamente um pino cirúrgico que muda de cor quando se aproxima dos seus limites mecânicos e está prestes a falhar, parafusos funcionais que podem ser aquecidos em resposta à luz infravermelha e um componente biocompatível que permite a libertação sustentada de agentes bioativos, como é o caso das enzimas.
 
Apesar de ser necessários mais estudos, os investigadores acreditam que podem ser desenvolvidas outras aplicações nomeadamente novos componentes mecânicos para ortopedia que podem ser incorporados com fatores de crescimento ou enzimas, parafusos cirúrgicos que mudam de cor à medida que atingem os limites de torção, porcas e parafusos que detetam e informam sobre as condições ambientais encontradas em seu entorno, ou bens domésticos que podem ser remodelados.
 
A estrutura cristalina e única da seda faz com que este seja um dos materiais mais resistentes da natureza. A fibroína, uma proteína insolúvel encontrada na seda, tem uma capacidade notável de proteger outros materiais, sendo totalmente biocompatível e biodegradável.
 
Fiorenzo Omenetto conclui que a capacidade de integrar elementos funcionais em biopolímeros, controlar a sua conformação, e modificar a sua forma cria oportunidades significativas para a produção de materiais funcionais de elevado rendimento.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar