Descoberto parasita que causa sintomas semelhantes à Leishmaniose

Estudo publicado online na “Emerging Infectious Diseases”

10 outubro 2019
  |  Partilhar:
Investigadores brasileiros descobriram que um parasita, cujos sintomas são semelhantes aos da Leishmaniose, também pode infetar mamíferos.
 
A Leishmaniose é uma doença parasítica típica dos trópicos, sub-trópicos e sul da Europa que se transmite por picada de mosquitos. Os sintomas são irritações na pele, mas pode ser visceral e afetar órgãos como o fígado, o baço e a medula óssea.
 
Se não for tratada, a Leishmaniose é fatal e a Organização Mundial de Saúde estima que 50.000 a 90.000 pessoas no mundo sejam infetadas pela Leishmaniose visceral por ano.
 
Investigadores têm vindo ao longo dos anos a descrever casos raros de pessoas infetadas com Leishmaniose e outros protozoários, incluindo a Crithidia, que não se sabia poder infetar humanos.
 
Para este estudo, foi observado o caso de uma paciente brasileira de 63 anos com sintomas de Leishmaniose visceral, incluindo perda de peso, febre, anemia e fígado e baço dilatados. 
 
Ao fim de 8 meses de tratamento para a Leishmaniose, a paciente demonstrou lesões na pele com limites mal definidos, ao contrário do usual, que seriam lesões com formas bem definidas e que aparecem depois do tratamento. Os sintomas não diminuíram e a paciente faleceu.
 
Os investigadores recolheram amostras de parasitas da medula óssea e das lesões na pele da doente e verificaram que em nada estes eram relacionados com o parasita da Leishmaniose, mas antes relacionados com o Crithidia fasciculata, um parasita que normalmente coloniza mosquitos.
 
Para confirmar se seria mesmo possível este parasita infetar um mamífero, parasitas retirados da doente foram introduzidos em ratos por via intravenosa e por injeção na pele.
 
Os parasitas introduzidos por ambos os métodos infetaram o fígado dos animais e causaram lesões na pele.
 
Os investigadores alertam para o perigo real e a necessidade de se criar um tratamento eficaz.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar