Descoberta sobre prevenção de doença metabólica ligada à idade

Estudo publicado na revista “Cell Metabolism”

25 novembro 2019
  |  Partilhar:
Investigadores da Universidade de Yale descobriram o porquê de a gordura à volta dos órgãos aumentar com a idade.
 
À medida que envelhecemos, o nosso corpo perde capacidade de gerar energia ao queimar gordura abdominal. Consequentemente, a gordura à volta dos órgãos aumenta com a idade.
 
A equipa descobriu que as células imunitárias necessárias para queimar a gordura, os macrófagos, apesar de ativas, existiam em menor quantidade à medida que a gordura abdominal aumentava.
 
Além disso, os linfócitos B na gordura abdominal proliferaram à medida que os ratos analisados envelheciam, contribuindo para um aumento da inflamação e declínio metabólico.
 
Os linfócitos B produzem anticorpos que nos defendem de infeções, mas, à medida que envelhecemos, “o aumento dos linfócitos B do tecido adiposo torna-se disfuncional, contribuindo para a doença metabólica”, explica Vishwa Deep Vixit, investigador líder do estudo.
 
A funcionar corretamente, os linfócitos B expandem-se para proteger o corpo de infeção e depois contraem para o ponto de partida. Com o envelhecimento, eles não se contraem no tecido adiposo abdominal.
 
Isto causou uma predisposição nos animais observados para a diabetes e disfunção metabólica.
 
Dixit teoriza que esta expansão contínua se deve ao aumento da esperança média de vida: “Existem vários mecanismos no corpo que não foram selecionados para a longevidade”.
 
A equipa descobriu ainda que os linfócitos B do tecido adiposo, para expandir, recebem sinais dos macrófagos próximos. Ao reduzir os sinais dos macrófagos e eliminar os linfócitos B, foi possível reverter o processo de expansão e prevenir o declínio da saúde metabólica relacionado com a idade.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar