Coração saudável aos 20, melhor cérebro aos 40?

Estudo publicado na revista “Neurology”

24 julho 2017
  |  Partilhar:
Os indivíduos que mantêm o seu coração saudável na juventude, poderão evitar a redução da massa cerebral décadas mais tarde, atestou um novo estudo.
 
Conduzido por uma equipa de investigadores liderada por Michael Bancks da Faculdade de Medicina Feinberg da Universidade Northwestern, EUA, o estudo apurou que a obtenção de uma boa pontuação em sete medidas para melhorar a saúde cardiovascular, promove uma melhor pontuação em testes cognitivos.
 
Criadas pela Associação Americana do Coração, as medidas conhecidas como “Life’s Simple Seven” consistem em manter uma pressão arterial saudável, controlar o colesterol, reduzir a glicose no sangue, ser ativo, comer de forma saudável, perder peso e deixar de fumar.
 
Para o estudo, a equipa analisou dados de 518 indivíduos com uma média de 51 anos de idade e que tinham sido seguidos durante 30 anos. No início do estudo, os participantes foram avaliados relativamente à altura, peso, tensão arterial, colesterol, alimentação, exercício físico e glicose no sangue. 
 
Os participantes foram posteriormente avaliados a cada dois a cinco anos e fizeram ecografias ao cérebro 25 anos após o início do estudo. 
 
Os investigadores atribuíram pontuações à adesão dos participantes aos sete passos para um coração saudável após 25 anos: de 0 a 7 foi considerada como adesão fraca, de 8 a 11, adesão média e de 12 a 14, uma adesão ideal.
 
No início do estudo 5% dos participantes demonstravam uma adesão fraca, 62% média e 33% ideal. Ao fim de 25 anos, 26% demonstravam uma adesão fraca, 58% média e 16% uma adesão ideal.
 
Foi verificado que os indivíduos com uma melhor pontuação nos passos para um coração saudável no início do estudo, apresentavam em média um volume cerebral maior na meia-idade. A equipa observou igualmente uma associação mais forte entre fumar na atualidade e um volume cerebral mais pequeno do que com os outros fatores.
 
Uma limitação deste estudo é o facto de só ter sido efetuada uma ecografia ao cérebro dos participantes. Não ficou claro também de a saúde cardíaca afeta o tamanho do cérebro ou se o tamanho do cérebro numa idade mais jovem poderá influenciar os comportamentos que afetam a saúde cardíaca, sendo, portanto, necessários mais estudos.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.