Convulsões febris repetidas ligadas a epilepsia e problemas psiquiátricos

Estudo publicado na revista “JAMA Pediatrics”

21 outubro 2019
  |  Partilhar:
Investigadores da Universidade de Aarhus, Dinamarca, realizaram um estudo em que observaram uma relação entre as convulsões febris repetidas nas crianças e o desenvolvimento de epilepsia e problemas psiquiátricos mais tarde.
 
O estudo é baseado em registos de 2 milhões de crianças dinamarquesas nascidas entre 1977 e 2011 onde foram identificadas aproximadamente 17.000 crianças com mais de uma convulsão febril.
 
Foi observado que nas crianças que haviam tido três ou mais convulsões o risco de desenvolverem epilepsia dentro de 30 anos era de aproximadamente 15%. O risco de desenvolverem um problema psiquiátrico que requer tratamento, como a depressão ou esquizofrenia, era de cerca de 30%.
 
As crianças sem um histórico de convulsões tinham uma probabilidade de 2% e 17% de desenvolverem epilepsia ou problemas psiquiátricos, respetivamente.
 
A autora principal, Julie Werenberg Dreier enfatiza que este estudo demonstra uma clara correlação, mas isso não é o mesmo que concluir que as convulsões são a causa exata dos problemas psiquiátricos e da epilepsia.
 
A investigadora refere ainda a importância desta descoberta que permite que os médicos acompanhem prolongadamente as crianças com historial de mais do que uma convulsão de modo a intervir mais rápida e eficazmente em caso de desenvolvimento de epilepsia ou problemas psiquiátricos.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar