Cogumelos podem proteger contra declínio cognitivo

Estudo publicado na “Journal of Alzheimer's Disease”

19 março 2019
  |  Partilhar:
O consumo de cogumelos poderá ajudar a proteger contra o declínio cognitivo, indicou um novo estudo.
 
Com efeito, o estudo, que foi conduzido por investigadores da Universidade Nacional de Singapura, apurou que mesmo consumidos em pequenas quantidades, os cogumelos podem diminuir o risco de défice cognitivo ligeiro (DCL), um problema que frequentemente precede a doença de Alzheimer.
 
A investigação foi efetuada entre 2011 e 2017 e teve a participação de 663 pessoas com 60 anos de idade ou mais na altura do recrutamento. 
 
A equipa focou a investigação sobre várias espécies de cogumelos consumidas em Singapura, como shiitake, ostra e brancos. Uma porção foi definida como sendo três quartos de chávena de cogumelos cozinhados.
 
Para definir a possível associação entre o consumo de cogumelos e o risco de DCL, para além do consumo dos mesmos os investigadores mediram as capacidades cognitivas dos participantes.
 
“As pessoas com DCL continuam a conseguir desempenhar as suas atividades diárias normais. Sendo assim, o que tivemos que determinar neste estudo foi se aquelas [pessoas] apresentavam um pior desempenho em testes neuropsicológicos convencionais em relação a outras pessoas com a mesma idade e habilitações académicas”, expôs Lei Feng, autor principal do estudo.
 
Foram ainda conduzidas entrevistas e testes que mediam variados aspetos das funções físicas e psicológicas dos participantes. Finalmente, foram medidos o peso, altura, força de preensão, tensão arterial e velocidade de marcha dos participantes. 
 
A análise associou o consumo de mais de duas porções por semana de cogumelos cozinhados a uma redução de 50% no risco de DCL, uma correlação considerada surpreendente e encorajadora pelos autores e com o potencial de ser causal. 
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Comentários 0 Comentar