Células tronco usadas para criar novos e funcionais pulmões em ratos

Estudo publicado na revista “Nature Medicine”

15 novembro 2019
  |  Partilhar:
Investigadores do Centro Médico Irving da Universidade Columbia, EUA, conseguiram desenvolver pulmões funcionais em ratos a partir de células tronco/células estaminais.
 
Milhões de pessoas no mundo sofrem de doenças pulmonares sem tratamento e morrem por falta de um dador para transplante. Este estudo mostra um caminho para desenvolvimento de pulmões humanos em animais em alternativa à espera de dadores.
 
A equipa usou embriões de ratos por ser mais fácil desenvolver os órgãos num animal em desenvolvimento para tirar partido da sinalização natural do crescimento de órgãos, assim como diminui a probabilidade de rejeição, pois o sistema imunitário ainda não está ativo.
 
Primeiro criaram-se condições no tecido de cultura que permitissem que as células tronco do dador continuassem a ter a capacidade de se expandir e diferenciar em diferentes tipos de células. Depois, estas células tronco foram transplantadas para dois tipos de embriões modificados de ratos.
 
Um tipo não tinha as células tronco que se iriam desenvolver em pulmões e o outro não conseguia produzir células suficientes para criar os pulmões. Este procedimento criou embriões “quiméricos”, um misto de células do dador e do hospedeiro.
 
As células tronco do dador implantadas nos embriões hospedeiros dominaram as moléculas promotoras de crescimento do hospedeiro e originaram a formação de pulmões saudáveis que permitiram aos animais viver de forma normal durante toda a fase adulta.
 
Vários testes realizados mostraram que estes pulmões funcionavam tão bem como os pulmões normais de ratos não modificados. A ideia de desenvolver pulmões humanos em animais para transplante está, desta forma, iniciada.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar