Acupuntura poderá reduzir sintomas da menopausa

Estudo publicado na “BMJ Open”

25 fevereiro 2019
  |  Partilhar:
Receber sessões de acupuntura durante um período relativamente curto de tempo poderá reduzir alguns dos sintomas mais desagradáveis da menopausa, apontou um estudo.
 
Até à data, apesar de terem sido efetuados vários estudos sobre a influência da acupuntura no alívio dos sintomas da menopausa, nenhum apresentou resultados definitivos.
 
O estudo, que foi conduzido por investigadores da Universidade de Copenhaga e da Universidade da Dinamarca do Sul, ambas na Dinamarca, baseou-se predominantemente num resultado: os afrontamentos.
 
Calcula-se que os afrontamentos afetem mais de três quartos das mulheres na menopausa, podendo causar desconforto.
 
Os investigadores recrutaram 70 mulheres que estavam a passar pela menopausa. Foi atribuída a metade das mulheres, as do grupo de intervenção, uma sessão semanal de 15 minutos de acupuntura durante as primeiras cinco semanas. Os profissionais de acupuntura tinham uma média de 14 anos de experiência.
 
As restantes mulheres, que formavam o grupo de controlo, não receberam qualquer intervenção.
 
Foi pedido a todas as participantes que respondessem a um questionário que tinha como objetivo avaliar os sintomas da menopausa experienciados pelas mulheres. Eram abordados os aspetos mais comuns como os afrontamentos, problemas de memória, problemas de sono, alterações na pele e sintomas urinários e vaginais. 
 
O questionário foi efetuado às mulheres no início do estudo e três, seis, oito, 11 e 26 semanas depois.
 
Foi observado que, após três semanas, as participantes do grupo da acupuntura relatavam ter menos afrontamentos. Às seis semanas, 80% das participantes daquele grupo consideravam que as sessões de acupuntura as tinham ajudado.
 
Além da redução nos afrontamentos, as mulheres que tinham recebido acupuntura relataram baixas significativas na severidade ou frequência dos suores, incluindo os noturnos, nos problemas de sono, pele e cabelo e nos sintomas emocionais.
 
Apesar de os resultados serem significativos em termos estatísticos, os autores realçam o número reduzido de participantes, a curta duração do estudo e a falta de um placebo, que atualmente não existe para comparação com a acupuntura.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Comentários 0 Comentar