Notícias sobre a BSE

59 replies [Última mensagem]
Vítimas poderão ser 130 mil

28 de Outubro, 2000

A identificação de uma nova forma da doença de Creutzfeldt-Jakob (nvMCJ) num homem de 74 anos morto o ano passado alterou as previsões sobre as vítimas da doença, em Inglaterra.

Segundo o especialista britânico Roy Anderson, até agora todas as vítimas conhecidas da doença tinham idades entre os 12 e os 55 anos, mas o caso do doente de 74 anos, em quem acaba de ser formalmente identificada a doença, leva os investigadores a acreditar na possibilidade de um leque mais alargado de vítimas.

As previsões da equipa de Anderson apontam para que cerca de seis mil pessoas tenham sido infectadas pelo nvMCJ entre 1980 e 1996, mas, se a incubação durar até aos 60 anos, este número pode subir até aos 130 mil.

A nova variante da doença de Cretzfeldt-Jakob já fez 85 vítimas na Brã-Bretanha, das quais 80 morreram, segundo o Ministro da Agricultura, Nick Brown.

Fonte: LUSA

Ministro britânico admite

29 de Outubro, 2000

O número de vítimas britânicas da forma humana da doença das vacas loucas poderá ser muito mais importante do que cerca de uma centena de pessoas, reconheceu hoje o ministro britânico da Agricultura, Nick Brown à BBC.

Recentemente o ministro apresentou um relatório sobre a doença, indicando 85 vítimas actualmente na Grã-Bretanha, dos quais 80 já faleceram.

Entretanto, a morte de um jovem de 14 anos, que terá incubado o vírus em apenas dois anos, e a descoberta de que um homem de 74 anos também terá perecido com a doença, veio baralhar os números apresentados, admitindo-se que o período de incubação da doença possa ser diferente do estimado até agora.

Estes novos dados fizeram os cientistas rever as suas estimativas sobre a doença - que pensavam poder provocar 63 mil casos nos próximos 40 anos - passando para uma previsão de 136 mil afectados.

Fonte: LUSA

Enchidos contaminados

31 de Outubro, 2000

Portugal não recebeu qualquer alerta das autoridades francesas em relação a enchidos suspeitos de contaminação, assegurou ontem uma fonte da direcção-geral da Fiscalização e Controlo da Qualidade Alimentar.

Pina Manique, responsável da direcção-geral, considera que a não existência de avisos por parte das autoridades francesas significa que a exportação dos enchidos foi controlada e que estes não chegaram a Portugal.

No entanto, o responsável garantiu que a Direcção-Geral da Fiscalização e Controlo da Qualidade Alimentar vai averiguar a situação.

Duas toneladas de enchidos fabricados pela sociedade Spangheo foram retiradas sábado do mercado depois de descoberta de existência de listeria num lote.

Fonte: LUSA

Carne Francesa

Conservadores britânicos querem proibir carne de vaca francesa

4 de Novembro, 2000

O Partido Conservador britânico exige que a Comissão Europeia proíba as importações de carne de vaca francesa, alegando o receio causado pelo aumento dos casos de BSE, a doença das vacas loucas, em França.

Os Conservadores baseiam também o seu pedido na declaração de um dos principais peritos franceses, Gérard Pascal, de que a carne de vaca francesa é mais perigosa do que a da Grã-Bretanha.

A importação de carne bovina britânica continua a ser proibida pela França, apesar da Comissão Europeia ter autorizado o Reino Unido a exportá-la.

Fonte: LUSA

Rações com farinha animal

Rações com farinha animal à venda em Portugal

4 de Novembro, 2000

Rações para suínos contendo farinha de origem animal, cuja produção é proibida em Portugal, estão disponíveis no mercado nacional devido a importações de Espanha, denunciou hoje um dirigente da Federação Portuguesa de Associações de Suinicultores (FPAS).

José Manuel Custódio, que falava no Congresso Regional de Suinicultura, em Alcobaça, afirmou que o futuro do sector em Portugal passa por exigir que o Governo faça cumprir a legislação do nosso país aos produtos importados.

Além do caso das rações, o dirigente da FPAS denunciou a importação de Espanha de carne de porco alegadamente criada com farinhas de origem animal, quando em Portugal, na sequência da BSE, a alimentação dos animais não pode conter aquelas farinhas.

Fonte: LUSA

Ministro desmente

4 de Novembro, 2000

Ministro da Agricultura desmente existência de rações com farinha animal

O ministro da Agricultura desmentiu hoje que existam rações para suínos contendo farinha de origem animal no mercado português e afirmou que a fiscalização nessa matéria tem sido apertada.

Luís Manuel Capoulas Santos falava aos jornalistas em Arraiolos, Évora, após uma sessão de esclarecimento com caçadores
sobre a nova lei da caça.
Instado sobre uma notícia divulgada hoje pela Agência
Lusa, em que um dirigente da Federação Portuguesa de Associações de Suinicultores (FPAS) denunciava a importação daquelas farinhas desde a Espanha, o ministro da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas questionou a veracidade do alerta.

Isso não é verdade e, se alguém tem conhecimento de alguma situação dessas, das duas uma - ou não está a falar verdade ou está a ocultar informações à justiça, afiançou.

No caso de terem sido importadas rações para suínos contendo farinha animal, cuja produção é proibida em Portugal, o governante sublinhou que tal facto deveria ter sido imediatamente divulgado às autoridades.

Quem prefere fazer denúncias em abstracto sem as concretizar é cúmplice da violação da lei, alertou Capoulas Santos, voltando a referir que as fábricas de rações e as fronteiras têm sido alvo de um apertado controlo.

Nos últimos meses, afiançou, foram efectuadas centenas de análises nas fábricas existentes em Portugal, tendo sido
detectadas apenas cinco infracções.

Fonte: LUSA

Análises aleatórias

Testes aletórios à BSE serão obrigatórios a partir de Janeiro

9 de Novembro, 2000

Portugal vai realizar testes aleatórios ao gado a partir de Janeiro, mas o Ministério da Agricultura garante que estes já são efectuados e sem que tenham sido detectados mais casos de BSE.

O Comissário Europeu para a Saúde e Defesa dos Consumidores, David Byrne, declarou ontem, durante uma conversa na Internet, que o número de casos de gado com BSE vai aumentar quando Portugal começar a realizar testes aleatórios.

No entanto, fonte do Ministério da Agricultura, contactada pela Lusa, afirma não compreender esta afirmação, porque os testes (que são um mecanismo de despistagem da doença) estão já a ser efectuados em Portugal.

Aliás, a fonte disse à Lusa que, desde que os testes aleatórios são realizados em Portugal, não foram detectados mais casos de BSE.

Os testes aleatórios só serão obrigatórios nos Estados-membros da União Europeia a partir de Janeiro de 2001, segundo uma decisão tomada em Abril pelo Comité Veterinário Permanente.

Segundo os dados da Comissão Europeia, registaram-se em Portugal, desde o início do ano até Outubro, 99 casos de BSE. Assim, Portugal é o segundo país da UE com maior número de casos registados
desde Janeiro, logo a seguir ao Reino Unido.

Fonte: Lusa

Comerciantes de carne

BSE: Comerciantes de carne propõem gabinete de risco e receiam prejuízos

9 de Novembro, 2000

A Federação dos Comerciantes de Carne vai propor hoje ao Ministério da Agricultura a criação de um gabinete de risco que coordene toda a fiscalização e controlo da carne, com vista a garantir a saúde pública.

O secretário-geral da federação, Jacinto Bento, disse temer que as notícias das últimas semanas sobre a BSE possam lesar os comerciantes e trazer-lhes o prejuízo que conheceram entre 1986 e 1988, de 18 milhões de contos.

Apesar de garantir que os consumidores podem estar descansados com a qualidade da carne nacional, Jacinto Bento está preocupado com um decréscimo no consumo de carne, uma vez que a BSE volta a ser manchete dos jornais.

Fonte: LUSA

Director L.N.I.Veterinária

Mais seguro consumir carne de vaca em países com mais BSE-LNIV

10 de Novembro, 2000

O consumo de carne de vaca é mais seguro nos países com mais casos registados de encefalopatia espongiforme bovina (BSE), porque neles se executa um controlo mais rigoroso e eficaz.

Para o director do Laboratório Nacional de Investigação Veterinária (LNIV), os países com mais casos de BSE tomaram as medidas de fiscalização e controlo necessárias de prevenção e combate à doença.

Alexandre Galo disse ainda que espera que o Comité Veterinário Permanente da União Europeia decida quarta-feira um embargo ao gado francês. Se o Comité for coerente promoverá o embargo, argumentou.

O director do LNIV considera fundamental que a União Europeia preconize medidas uniformes de combate à BSE, para que os interesses económicos e políticos de cada Estado-membro não se sobreponham às questões da saúde pública.

Apesar de admitir que não é totalmente seguro comer carne em Portugal, Alexandre Galo, que se encontra a participar no Congresso Mundial sobre Segurança Alimentar, no Porto, aconselha os consumidores a adquirirem carne nacional.

Fonte: LUSA

Generalização dos testes

Generalização dos testes de despistagem da BSE divide Quinze

19 de Novembro, 2000

A generalização dos testes de despistagem da BSE aos bovinos de uma certa idade que entrem na cadeia alimentar é o principal ponto do conselho de ministros da Agricultura que segunda-feira se reúne em Bruxelas.

A proposta da Comissão Europeia divide os Quinze na definição do critério dos animais a abranger e na data da aplicação da medida, avançada para 01 de Julho de 2001. Alguns países levantam reservas à exequibilidade das medidas.

Segundo fontes comunitárias, este é o caso de um grupo maioritário de países, entre os quais Portugal que, defendem a necessidade de se reflectir sobre a execução do alargamento destes testes, definindo como ambiciosa e irrealista a data proposta pela Comissão Europeia.

Portugal preconiza uma aplicação gradual da medida e não a sua generalização imediata, enquanto a Itália, Irlanda e Espanha são alguns dos países que apoiam a proposta de Bruxelas sem levantar reservas.

Fonte: LUSA

Página 2 de 6