Tensão arterial alta antes dos 40 anos pode aumentar risco cardiovascular

Estudo publicado na revista “JAMA"

09 novembro 2018
  |  Partilhar:
As pessoas com menos de 40 anos que apresentam tensão arterial elevada correm um maior risco de insuficiência cardíaca, acidente vascular cerebral (AVC) e obstruções nas artérias mais tarde, anunciou um estudo.
 
O estudo que foi conduzido por investigadores da Faculdade de Medicina da Universidade Duke, EUA, analisou dados de mais de 4.800 participantes de outro estudo norte-americano, conhecido como CARDIA, que avaliava o risco de doença coronária em adultos mais jovens.
 
Os participantes tinham tido a tensão arterial medida antes dos 40 anos de idade. Os investigadores usaram as novas diretrizes para a tensão arterial, adotadas nos EUA em 2017, que decrescem os valores da definição clínica de tensão arterial elevada.
 
Assim, os participantes no estudo foram divididos em quatro grupos, de acordo com os seguintes níveis de tensão arterial estabelecidos em 2017: normal (120 ou inferior sistólica e 80 ou menos diastólica), elevada (120-129 e menos de 80), hipertensão de nível 1 (130-139 e 80-89) e hipertensão de nível 2 (140 ou mais e 90 ou mais).
 
Os investigadores seguiram os participantes para identificar eventuais eventos cardiovasculares graves, durante uma média de cerca de 19 anos. Durante o período de monitorização ocorreram 228 episódios. A equipa observou, sucessivamente, maiores índices de eventos que coincidiram com valores mais elevados de tensão arterial.
 
“Nos jovens adultos, os que tinham tensão arterial elevada, hipertensão de nível 1 e hipertensão de nível 2 antes dos 40 anos de idade, tal como definido nas diretrizes de 2017, apresentavam um risco significativamente superior de eventos subsequentes de doenças cardiovasculares, em comparação com os que tinham tensão arterial normal antes dos 40 anos de idade”, concluiu Yuichiro Yano, investigador que liderou o estudo. 
 
Os autores consideram que identificar e tratar problemas de tensão arterial atempadamente em jovens adultos, segundo as novas diretrizes norte-americanas, poderá ser benéfico para aquela população. 
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentário