Suplementos alimentares não previnem a depressão

Estudo publicado na revista “JAMA”

08 março 2019
  |  Partilhar:
A toma diária de suplementos alimentares não previne um transtorno depressivo maior, concluiu o maior estudo clínico randomizado efetuado até à data.
 
Denominado MooDFOOD, o estudo contou com 1.025 participantes adultos de quatro países europeus: Alemanha, Espanha, Holanda e Reino Unido. Os participantes apresentavam excesso de peso ou eram obesos e risco de depressão, embora não estivessem na altura deprimidos. 
 
Os investigadores de várias instituições académicas europeias dividiram os participantes em dois grupos, de forma aleatória. A um dos grupos foi oferecido um suplemento alimentar diário que continha ácido fólico, vitamina D, zinco e selénio e o outro grupo recebeu um placebo. Os participantes seguiram o tratamento durante um ano. 
 
Metade dos participantes recebeu ainda uma intervenção sobre comportamentos relacionados com o estilo de vida, que tinha como objetivo alterar comportamentos e padrões alimentares. Os participantes foram seguidos durante um ano após a intervenção. 
 
Como resultado, Mariska Bot, autora principal do estudo, indicou que “a toma diária de suplementos alimentares durante um ano não previne, efetivamente, o desencadeamento de um episódio depressivo nesta amostra. Os suplementos alimentares não foram melhores do que o placebo”. 
 
A autora revelou ainda que a intervenção comportamental não foi eficaz em prevenir a depressão em geral: “as sessões terapêuticas destinadas a fazer alterações no sentido de um comportamento alimentar saudável não foram convincentes na prevenção da depressão”. 
 
Contudo, a intervenção indiciou eficácia na prevenção de episódios depressivos nos participantes que tinham completado o número recomendado de sessões. Isto pode sugerir que a terapia de comportamento alimentar só funciona com uma exposição suficiente que promova um melhoramento igualmente suficiente no comportamento alimentar.
 
Segundo Marjolein Visser, investigadora neste estudo, os investigadores que participaram no projeto MooDFOOD apuraram que a adoção de uma dieta de estilo mediterrânico poderá reduzir o risco de depressão, o que se verifica também com a perda de peso em pessoas obesas. Finalmente, como se viu, a evidência recolhida nos estudos não suporta o uso de suplementos nutricionais para reduzir a depressão. 
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.  
Partilhar:
Comentários 0 Comentário