Procura de termalismo terapêutico cresce em 2019

Maioria das termas localiza-se na região centro de Portugal

06 novembro 2019
  |  Partilhar:
O termalismo em Portugal está a “crescer muito” este ano, tanto em número de frequentadores das estâncias como em volume de negócios, particularmente na região Centro, disse Adriano Barreto Ramos, coordenador da rede Termas Centro.
 
O normalmente designado termalismo de bem-estar tem vindo a aumentar nos últimos tempos, mas o grande crescimento em 2019 regista-se na área terapêutica.
 
A retoma e crescimento “quase exponencial” do termalismo terapêutico e de prevenção que se está a verificar deve-se, em grande medida, na perspetiva de Adriano Ramos, ao facto de o Estado ter voltado a comparticipar, em 2019, este meio de promoção da saúde.
 
Para além da comparticipação monetária do Estado (35% do preço do conjunto de tratamentos, com limite de 95 euros por utente), esta medida também tem o efeito, junto da população, do “reconhecimento dos fins terapêuticos das termas”.
 
Quase dois terços das estâncias termais com fins terapêuticos situam-se na região Centro de Portugal.
 
Embora a generalidade das termas portuguesas tenha ambas as valências, umas são mais vocacionadas para fins terapêuticos e outras (menos de metade) apostam essencialmente na oferta do bem-estar e lazer.
 
Um encontro em França vai juntar, “pela primeira vez, os principais ‘players’ da saúde, hotelaria, termalismo, talassoterapia e spas, mas também do setor financeiro e das novas tecnologias, entre outras áreas, para reflexões sobre um tema estratégico e trocas de experiências”.
 
O coordenador do PROVERE Termas Centro, que é um dos oito oradores na reunião, tratará questões relacionadas com o termalismo em Portugal (“Turismo de Saúde e Bem-Estar?”), analisando designadamente o setor no país 15 anos após a publicação da Lei do Termalismo.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A
Partilhar:
Comentários 0 Comentário