Novo alvo de tratamento da doença de Crohn

Estudo publicado na “Cellular and Molecular Gastroenterology and Hepatology”

28 agosto 2019
  |  Partilhar:
Investigadores da Faculdade de Medicina da Universidade Case Western Reserve descobriram um mecanismo no sistema imunitário que é ativado na doença de Crohn e que poderá ser um caminho para o tratamento.
 
A doença de Crohn caracteriza-se por dor abdominal, desconforto intestinal e perda de peso severa. É uma forma de doença inflamatória intestinal em que o sistema imunitário ataca o trato intestinal e os tratamentos focam-se em amenizar os sintomas.
 
Usando ratos com doença de Crohn, Fabio Cominelli, líder do estudo, e equipa, investigaram a interação entre uma classe de proteínas chamadas Fator de Necrose Tumoral e os seus recetores de superfície, os Fn14, para entender como ambos podem exercer a dualidade de proteger o intestino em caso de inflamação aguda e crónica e de a despoletar (a inflamação). 
 
Cominelli explica que “durante o início da inflamação, a interação FNT/Fn14 é ativada para curar os danos nos tecidos. Contudo, mais tarde a inflamação crónica pode levar a persistentes e elevados níveis de Fn14, o que leva a inflamação patológica e fibrose”. 
 
Para melhor entender a ligação entre a FNT/Fn14 e a inflamação crónica, os investigadores usaram ratos com doença de Crohn e eliminaram geneticamente o recetor de superfície celular Fn14. Os ratos com essa eliminação sofreram menos inflamação. Os restantes apresentaram cicatrizes e inflamação intestinal.
 
Para examinar estes resultados em humanos, foram analisados tecidos intestinais retirados de pacientes humanos com e sem doença de Crohn. Verificou-se uma significativa expressão de FNT/Fn14 nos tecidos dos pacientes doentes.
 
Cominelli acredita que bloquear farmacologicamente a Fn14 irá amenizar a inflamação e fibrose na doença de Crohn. Além disso, esta descoberta tem impacto nos tratamentos do cancro visto que a inflamação crónica leva, muitas vezes, a aparecimento e crescimento de tumores.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Comentários 0 Comentário