Luz intensa protege a saúde cardiovascular

Estudo publicado na revista “Cell Reports”

28 agosto 2019
  |  Partilhar:
Investigadores do Campus de Medicina Anschutz, da Universidade do Colorado, EUA, descobriram o mecanismo ativado pela luz intensa que protege contra ataques cardíacos.
 
A equipa descobriu que colocar ratos sob luz intensa durante uma semana os protegeu de forma significativa, resultando numa grande redução dos danos no tecido cardíaco após um ataque cardíaco.
 
Para melhor compreender este efeito, usaram a luz intensa para atingir e manipular a função do gene PER2 que se expressa num padrão circadiano na zona do cérebro que controla os ritmos circadianos.
 
Foi descoberto que este gene protege os tecidos cardíacos em situações de baixo oxigénio, tais como isquemia do miocárdio, causada por um baixo fluxo de oxigénio no coração.
 
A luz intensa revelou ainda aumentar a adenosina cardíaca, um químico que contribui para a regulação do fluxo sanguíneo.
 
Contudo, os ratos cegos não beneficiaram de qualquer vantagem com este tratamento, o que indica que terá de haver perceção visual da luz para funcionar.
 
Foi de seguida avaliado o impacto da luz intensa em humanos, submetendo-os a 30 minutos de luz intensa. Este método aumentou a PER2 tal como nos ratos e ainda melhorou o metabolismo em geral, baixando os níveis de triglicerídeos.
 
Tobias Eckle, autor sénior, conclui: “Oferecer aos pacientes terapia de luz uma semana antes de uma cirurgia poderá aumentar a proteção cardíaca”.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentário