Genes associados à resistência a inseticidas dos mosquitos portadores de malária

Estudo publicado na revista “Proceedings of the National Academy of Sciences”

10 dezembro 2019
  |  Partilhar:
Investigadores da Faculdade de Medicina Tropical de Liverpool descobriram que três genes são os responsáveis pela crescente resistência a inseticidas dos mosquitos portadores de malária.
 
Os genes Cyp6m2, Cyp6p3 e Gste2 foram os genes expostos pela equipa e a sua sobreprodução foi associada à resistência a inseticidas usados para repelir os insetos. Esta crescente resistência tem feito aumentar os casos de malária em África.
 
Para verificar a causa desta crescente resistência, Adriana Adolfi e colegas geraram mosquitos geneticamente modificados que sobreproduzem enzimas específicas identificadas num estudo anterior como potenciais candidatas a responsáveis pela resistência.
 
Os investigadores verificaram que é a sobreprodução destes genes que torna os mosquitos resistentes aos inseticidas das 4 classes atualmente usadas no controlo da malária.
 
Gareth Lycett, autor sénior, afirma que estes genes se revelam um excelente biomarcador da resistência e uma ferramenta de exame molecular para monitorizar a progressão do problema. Os mosquitos serão agora usados para testar novos inseticidas que escapem à atividade das enzimas identificadas.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentário