Exposição a químicos comuns em plástico associada a obesidade infantil

Estudo publicado na “Journal of the Endocrine Society”

16 agosto 2019
  |  Partilhar:
O risco de obesidade infantil poderá ser exacerbado pela exposição das crianças aos químicos comuns nos plásticos e em produtos enlatados que vieram substituir o bisfenol A (BPA), indicou um estudo.
 
O BPA é um composto químico bastante conhecido por perturbar o sistema endócrino, prejudicando a saúde humana através da interferência com as hormonas do organismo.
 
O bisfenol S (BPS) e o bisfenol F (BPF) são compostos químicos industriais que são usados em certos tipos de plástico, no revestimento do alumínio das latas que conservam alimentos e bebidas e no papel térmico dos comprovativos de compra emitidos pelas caixas registadoras. Estes químicos têm sido usados como substitutos do BPA.
 
Para o estudo, uma equipa de investigadores de Faculdade de Medicina da Universidade de Nova Iorque, EUA, procuraram analisar a associação entre o BPA, o BPS e o BPF e os resultados em termos de massa corporal de crianças e adolescentes entre os seis e os 19 anos de idade.
 
Os investigadores contaram para o efeito com dados recolhidos em sondagens norte-americanas sobre saúde e nutrição.
 
Como resultado, a equipa detetou que as crianças com maiores níveis de BPS e BPF na urina apresentavam uma maior probabilidade de serem obesos em relação a crianças com níveis mais baixos.
 
Melanie Jacobson, autora correspondente do estudo, comentou que “embora a alimentação e exercício sejam ainda percecionados como os maiores causadores da obesidade, este estudo sugere que as exposições a químicos comuns poderão também desempenhar um papel, especificamente entre as crianças”. 
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Comentários 0 Comentário