Doenças pulmonares na meia-idade podem aumentar risco de demência posteriormente

Estudo publicado na revista “American Journal of Respiratory and Critical Care Medicine”

30 novembro 2018
  |  Partilhar:
Um novo estudo sugere que um indivíduo com uma doença pulmonar na meia-idade poderá correr um maior risco de demência ou de incapacidade cognitiva numa fase mais avançada da vida.
 
Liderado por Pamela Lutsey, da Faculdade de Saúde Pública da Universidade do Minnesota, EUA, o estudo descobriu uma associação entre doenças pulmonares restritivas e obstrutivas e o desenvolvimento de demência, incluindo doença de Alzheimer, e incapacidade cognitiva ligeira.
 
Para a sua investigação, a equipa contou com dados de mais de 14.000 adultos, com uma média de idades de 54 anos, que tinham participado noutro estudo norte-americano sobre o risco de aterosclerose. 
 
Os participantes tinham sido submetidos a um exame de espirometria, que avalia a saúde pulmonar. O grupo foi acompanhado durante uma média de 23 anos, ao fim dos quais os participantes foram avaliados para detetar demência e incapacidade cognitiva.
 
Durante o período de acompanhamento, foram registados 1.407 casos de demência.
 
Os investigadores apuraram que, em relação a pessoas sem doenças pulmonares, os doentes com doença pulmonar restritiva (como fibrose pulmonar idiopática e sarcoidose) apresentavam uma propensão 58% mais elevada de desenvolverem demência ou incapacidade cognitiva ligeira.
 
Relativamente aos adultos com doença pulmonar obstrutiva crónica, foi observado que o risco de demência ou de incapacidade cognitiva ligeira era 33% maior em relação aos participantes sem doenças pulmonares.
 
Segundo os autores do estudo, as possíveis explicações para os achados poderão ser o facto de as doenças pulmonares produzirem níveis baixos de oxigénio, o que por sua vez poderá conduzir a inflamação, stress e danos nos vasos sanguíneos do cérebro.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentário