Doença de Crohn poderá ser tratada com as próprias células do doente

Estudo publicado na revista “Gastroenterology”

20 fevereiro 2019
  |  Partilhar:
Uma equipa de investigadores desenvolveu uma técnica que emprega as próprias células do paciente para tratar a doença de Crohn. 
 
A doença de Crohn é uma doença vitalícia e debilitante em que partes do sistema digestivo sofrem inflamação severa, causando diarreia, dores de estômago, cansaço, entre outros sintomas. Embora não se conheçam as causas da doença, sabe-se que tem alguma ligação com o sistema imunitário.
 
A nova técnica, que demonstrou ter sido eficaz em experiências com células humanas, poderá entrar em ensaio clínico nos próximos seis meses.
 
Os investigadores do Centro de Investigação Biomédica dos Hospitais Guy and St Thomas, Londres, Reino Unido, desenvolveram a inovadora técnica recorrendo a glóbulos brancos, conhecidos como linfócitos T reguladores, recolhidos de pacientes com a doença de Crohn e comparados com linfócitos de indivíduos saudáveis.
 
A comparação entre os linfócitos T reguladores de pacientes com Crohn e os de pacientes saudáveis permitiu apurar que os doentes com Crohn produziam menos integrina α4β7, uma proteína específica do sistema gastrointestinal.
 
Este achado foi a base para o desenvolvimento de uma técnica de terapia celular. A técnica envolve a manipulação de células de pacientes com Crohn com uma molécula conhecida como RAR568 que repõe níveis saudáveis de integrina α4β7.
 
As células tratadas são novamente injetadas no paciente através de infusão intravenosa. 
 
“Isto é o próximo patamar da terapia celular, na medida em que estamos a ir além do tratamento dos sintomas da doença de Crohn e a tentar reprogramar o sistema imunitário para tratar a doença”, explicou Graham Lord, investigador que liderou este estudo.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentário