Cesariana de emergência pode aumentar risco de depressão pós-parto

Estudo publicado na “Journal of Health Economics”

29 janeiro 2019
  |  Partilhar:
Uma equipa de investigadores apurou que o parto por cesariana de emergência pode fazer aumentar o risco de depressão pós-parto nas mães pela primeira vez.
 
O estudo que foi conduzido por investigadores da Universidade de York, Reino Unido, contou com 5.896 mães que tinham dado à luz pela primeira vez através de cesariana não-planeada. 
 
Os investigadores isolaram os efeitos dos partos por cesariana de emergência sobre o bem-estar psicológico das mães durante os primeiros nove meses após o parto. 
 
Foram tidos em consideração fatores como recursos e pessoal hospitalar e o historial mental das mães. Os investigadores escolheram mães pela primeira para eliminar os efeitos de partos anteriores. 
 
Como resultado, foi estabelecida uma associação entre o parto por cesariana de emergência e uma propensão 15% mais elevada de depressão pós-parto nas novas mães. 
 
Perante os resultados do estudo, Valentina Tonei, autora do estudo, comentou que “os achados deste estudo são surpreendentes porque evidenciam uma relação causal entre as cesarianas de emergência e a depressão pós-parto”.
 
A investigadora realça que as mães que têm partos através de cesariana não-planeada poderão necessitar de apoio adicional. “As cesarianas não-planeadas poderão exercer um impacto psicológico particularmente negativo sobre as mães porque são inesperadas, por norma stressantes mentalmente e fisicamente e associadas a uma perda de controlo e expectativas goradas”, explicou.
 
Valentina Tonei evocou estudos que indicam que os efeitos da depressão pós-parto podem ser bastante abrangentes, afetando a saúde da mãe, a relação com o parceiro, restante família e mesmo o desenvolvimento do bebé. As mães que sofrem depressão pós-parto são igualmente menos propensas a terem outro bebé. 
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Comentários 0 Comentário