Alergias alimentares associadas a mais surtos de esclerose múltipla

Estudo publicado na revista “Journal of Neurology, Neurosurgery & Psychiatry”

26 dezembro 2018
  |  Partilhar:
Um novo estudo associou as alergias alimentares a um maior índice de atividade de esclerose múltipla (EM).
 
Os fatores de risco da doença incluem,  grande altitude, obesidade na adolescência, níveis reduzidos de vitamina D, ser do sexo feminino, fumar e outros. Há estudos a indicar que certas alergias poderão ser potenciais fatores, mas os resultados têm sido inconclusivos.
 
O estudo, que tinha como objetivo identificar potenciais fatores de risco para o desenvolvimento da doença, foi levado a cabo por investigadores do Hospital Brigham and Women, EUA.
 
A equipa contou com a participação de 1.349 adultos com EM, aos quais foram pedidos detalhes sobre alergias ambientais, a alimentos e a fármacos, bem como sintomas associados.
 
Foi apurado que 427 não tinham alergia conhecida, enquanto 922 tinham uma ou mais alergias. Dos alérgicos, 586 tinham uma alergia ambiental, 238 uma alergia alimentar e 574 uma alergia a fármacos prescritos.
 
As possíveis associações entre as várias alergias e surtos de EM e atividade da doença foram verificadas através de ressonância magnética. Foram ainda calculados os surtos da doença em cada participante, durante um período médio de 16 anos, assim como a severidade dos sintomas, relatada pelos próprios, na última consulta médica.
 
Como resultado, qualquer alergia foi associada a uma taxa 22% mais elevada de surtos cumulativos da doença. Contudo, após considerados fatores influenciadores, a diferença desapareceu. 
 
Em comparação com os pacientes sem qualquer alergia conhecida, os que tinham alergias alimentares foram associados a uma taxa cumulativa de surtos da doença 27% mais elevada, mesmo após os ajustes de fatores influenciadores.
 
Finalmente, qualquer tipo de alergia foi associado a uma maior possibilidade de EM ativa. No entanto, ter uma alergia alimentar foi associado a mais do dobro da possibilidade de atividade da doença em relação a não ter uma alergia.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentário